sexta-feira, 11 de março de 2011

canção do nó cego


há um olho redondo
na meio da dor
uma nódea
um nó

me conta a dor
com seu olho de peixe

há na nódea
um nó
que não vê

6 comentários:

  1. Hola Eliane, muy original su figura plástica, el nudo del dolor, apretado en su garganta.
    Le dejo un beso de ternura
    Sor.Cecilia

    ResponderExcluir
  2. muy bonito y original un beso Marina

    ResponderExcluir
  3. As suas poesias tocam-me com intensidade e têm cheiro de vida. Imediatamente me identifico com elas. Poucas palavras luminosas que clareiam os horizontes da alma.

    bjos
    Mariinha

    ResponderExcluir
  4. Eliane,


    Um poema profundo, tão semelhante a nódoa, ao nó, a dor!

    Parabéns!

    Um abraço Marluce

    ResponderExcluir
  5. Olá Eliane,seu poema sobre a dor nos remete as dores de todos,realmente em toda ela há um nó,porém que se acaba quando entendemos que dor nos faz sofrer.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Oi Eliane, o presente são os selos que estão na postagem "Túnel do Tempo", no meu blog, deixarei o link abaixo, pode pegar quantos desejar, basta salvar a imagem.Beijos

    http://ventosnaprimavera.blogspot.com

    ResponderExcluir