quinta-feira, 12 de julho de 2012

Gerações: música em três tempos

Foto de arquivo pessoal _ Espanha, Cuenca









I - 1321 A.C.
                                  
                                       

No princípio, amanheci deserto.

Um homem _ metade sol, metade lua _ escalando dunas, descobriu-me os seios. Oculto no remanso de um abraço infindo fecundou-me. Ao conceber os gêmeos renasci oásis, uádi, poço, palmas, tamareiras.

Desde então, os frutos que de mim brotam alimentam pássaros, camelos, cabras, cobras, lagartos, as caravanas dos tuaregues, a luz e as sombras do meu homem. E os meninos: o Negro e o Dourado.

  

II - 1950 A.D.

A cama de espaldar alto e dossel de filó não protegia meu sono de menina das areias, do calor, da comida, da língua e musica árabe, ou dos murmúrios do Nilo, que, renegados pela cultura de minha gente, apesar de vivermos no Cairo, entravam sorrateiros e caudalosos pelas conversas proibidas nas sombras da cozinha.

As tias, avós, primas mocinhas, minha bela mãe, vestidas de sedas e rendas de Chantilly, preenchiam salas luminosas de risos e vozes musicais. Os homens desmanchavam-se na fumaça dos charutos, embriagados com a promessa dos lucros nos negócios. As crianças corriam por varandas, caramanchões, jardins. Vivíamos nas bordas do Sahara, e falávamos o francês.


III - Terceiro Milênio

Atravessamos o mar, conheci meu marido, tivemos filhos. Agora, avó, em meus sonhos, permaneço jovem e loira. Neles visto leves e transparentes véus, cavalgo camelos enluarados, quando, os cheiros, sons, e ritmos vivos, torneados e sacrílegos me possuem, em tempos e verbos de língua brasileira.

5 comentários:

  1. só o corpo que muda..
    mas pra que corpo, se a vida cheia de prazer, e tudo o que ele nos proporciona, está em nossos sonhos, e nos fazem companhia em nossas recordações..

    bjs.Sol

    ResponderExcluir
  2. .


    Eu não quero saber quem assina o texto,
    digo, a prece. Quero sim e me entregar
    a meditação de tão belas palavras e ma-
    ravilhoso arranjo.

    Aplaudo de pé.

    Bravo!
    Bravíssimo!

    Beijos,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir
  3. Hola buenas noches pase a saludarte
    un abrazo

    ResponderExcluir
  4. Um texto para ler com cuidado e meditar nele.
    Gostei.
    Desejo esteja bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
  5. É sempre muito gostoso vir aqui ao seu blogue
    e ler os seus posts.
    Desejo que esteja bem.
    Bj
    Irene Alves

    ResponderExcluir