quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Tempocídio


Quando o pai não voltou nunca mais, a mãe contou à menina que ele ficou na estrada. Cresceu e passou a vida procurando o pai e salvando homens. Da estrada. Deixar de procurar o pai não fez para ela o mundo diferente.  Rasgou papel, apagou textos, pintou quadros _ nada mudava.  Matou o pai e encontrou a Morte.  Desde então, toda certeza desmatelada em poça d´agua, menos uma _ a Morte existe, e se o tempo para os mortais é curto, usá-lo mal é crime.

9 comentários:

  1. A lua de prata
    no céu se esconde
    As estrelas pingam
    lágrimas de saudade
    A noite grita
    dentro de mim o teu nome

    Lou Witt

    Feliz noite....Beijos meus! M@ria

    ResponderExcluir
  2. Eliane, que interessante seu blog! Gostei de suas palavras, suas reflexões e seus caminhos.

    ResponderExcluir
  3. Somos todos como esta menina que procura o pai. Alguns procuram a mãe. Mas esta, rosada e linda, dorme no regaço do tempo. O pai sugere proteção, abertura de caminho, limite nos sonhos.
    Que bela síntese no palmilhar da estrada... Sim, até que cheguemos a conclusão de que a vida na Terra é mesmo finita, muitas águas passam sob nossos pés. Mas o importante é o encontro: reconhecer-se. Abraçar a si mesma quando cansada de tanta procura. O pai agora está dentro, como certo santuário onde a Luz se desloca para o interior de nós mesmos.

    ResponderExcluir
  4. Essa doeu. Trabalho forte, agressivo (positivamente agressivo)... O texto; bom, o texto é daqueles da série "Poxa! Por que não fui eu a escrever isto!?". Boa Quinta. Jacson Faller.

    ResponderExcluir
  5. Eliane,cá estou a filosofar sobre seu post,é bom puxa pela reflexão.Sempre falamos em Tempo,Morte,porém é difícil entender estes acontecimentos que já fazem parte de nossas existências.Otimo texto,parabéns.Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Blogueiros,

    adoro ter vocês aqui comigo para um café e bom bate-papo. Publico alternadamente neste e no blog "psicanálise e arte."
    Também irei a vocês!

    ResponderExcluir
  7. Preciso de leitores críticos.
    Jacson, tive uma boa quinta.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  8. Vagando nessas tantas ruas virtuais, encontrei tua porta de amante das Letras aberta - e entrei. Devo anunciar-me como um desses que diz "Oi, de casa! Trago aqui em minhas mãos a chave para dias melhores: escrevo e vendo livros!". Assim, venho te convidar para visitar o meu blog e conhecer as sinopses de meus romances, a forma de adquiri-los e, posteriormente, discuti-los. Três deles estão disponíveis inclusive para serem baixados “de grátis”, em formato PDF.
    Um grande abraço literário,

    João Bosco Maia

    ResponderExcluir
  9. Oi, passando para desejar um feliz ano novo. bjsss

    ResponderExcluir